Novos insights sobre expatriação!

Atualizado: 2 de Nov de 2019

Recentemente, a InterNations Business Solutions publicou sua nova pesquisa sobre expatriados em todo o mundo. Dessa vez, eles dedicaram uma seção inteira ao cônjuge expatriado e apresentaram dados demográficos, situação pessoal, necessidades e desejos durante o tempo no exterior.

Com mais de 1.300 cônjuges entrevistados, esta pesquisa é uma das mais abrangentes do mercado. É por isso que acredito ser relevante falar sobre os resultados – então vamos dar uma olhada em alguns aspectos, principalmente aqueles relacionados aos cônjuges.


Fatores Gerais de Felicidade na Vida no Exterior

Quais são os fatores que contribuem para a felicidade e a infelicidade dos expatriados no exterior? A pesquisa distingue claramente entre 3 grupos: 

1. empregados estrangeiros (entrevistados enviados ao exterior por seu empregador).

2. contratados internacionais (entrevistados que encontraram um emprego no exterior por conta própria).

3. cônjuges de expatriados (entrevistados que se mudaram para o exterior devido ao trabalho de seu parceiro). 

Saber mais sobre o que torna os expatriados felizes ou infelizes ajuda os provedores de serviços do setor de mobilidade global e empresas que enviam seus funcionários a aprimorar seus trabalhos e também nos ajuda como indivíduos a saber o que devemos observar.

Pode ser um fato inegável que os empregados estrangeiros e as contratações internacionais estão mais concentradas em uma situação profissional, enquanto o cônjuge expatriado está mais preocupado com a situação familiar. Curiosamente, porém, todos os três tipos deexpat sentem falta de redes sociais locais para interagirem e de suporte quando necessário. Mas vamos às informações quanto aos cônjuges de expatriados.


Preocupação com a Perspectiva de Carreira

Quero destacar uma estatística muito interessante na Pesquisa de Soluções de Negócios da InterNations: elas distinguiram a satisfação da Perspectiva de Carreira ao longo do tempo. O estudo até analisou o desenvolvimento de quão satisfeitos os cônjuges estão com esse ponto fundamental:

“As perspectivas de carreira têm os mais baixos índices de satisfação geral nos primeiros seis meses, e esses índices são ainda mais baixos após a fase de lua de mel no período entre um e três anos.” Expat Insider 2019

A realidade atual, onde as duas partes do casal trabalham está em ascensão e não há dúvida de que o dilema da carreira será um dos aspectos mais interessantes a serem observados no futuro. O estudo confirmou novamente que os cônjuges expatriados são altamente educados, dedicados a contribuir, ansiosos para crescer e desenvolver o lado profissional, mas também sentem-se responsáveis em gerenciar as alegrias e os desafios de viver uma vida familiar equilibrada e feliz no exterior. O estudo mostrou que a felicidade profissional vem de formas muito diferentes para o cônjuge que está se mudando. Uma alta porcentagem decidiu começar o próprio negócio. Muitas vezes, isso é sustentado pela boa situação financeira do contrato de expat, e o ambiente inspirador que a vida no exterior pode trazer. Muitas mulheres experimentam algo novo e buscam (ou até criam)o emprego dos sonhos que sempre desejaram. Outros decidem trabalhar em meio período ou se dedicam ao voluntariado. 

“A partir dos resultados da pesquisa e de alguns comentários, fica claro que, para os cônjuges, o trabalho não é apenas uma preocupação, mas também uma razão de infelicidade – 57% que não realizam nenhum trabalho remunerado estão infelizes cuidando de casa e da família, procurando trabalho ou voluntariado “. Expat Insider 2019

No entanto, não devemos ignorar o fato de que uma carreira ou uma vida profissional é um contribuinte vital para a felicidade. A maioria dos cônjuges expatriados ainda luta para se organizar… e não trabalhar, é um contribuinte definitivo para a infelicidade no exterior. Então, o que precisamos fazer para alterar esses números? Precisamos mudar a abordagem de gerenciamento de expatriados da perspectiva da empresa, ampliando o foco para a seguinte questão: Como podemos capacitar o cônjuge a encontrar sua própria solução para o dilema da carreira?


Satisfação com a Realocação?

Quão satisfeitos estão os expatriados com o suporte da empresa? O suporte à realocação é um tópico importante para os cônjuges, por isso destaco algumas das descobertas críticas do estudo. 


Os cônjuges realocados recebem apoio do empregador até certo ponto, mas os resultados da pesquisa indicam que suas necessidades reais não são atendidas.

Expat Insider 2019


Aqui estão alguns dos principais resultados do estudo:

61% dos cônjuges realocados receberam reembolso por despesas relacionadas a expatriação. Serviços que são necessários, mas geralmente não fornecidos: acesso a redes profissionais, acesso a redes sociais locais e acesso a informações sobre a vida no novo país. Dos serviços e suporte recebidos, o feedback mais comum foi “A qualidade foi ruim”. Isso é especialmente relevante para os serviços de instalação local e o apoio do cônjuge.


Retornar ao país de origem ainda é um cenário que acontece com mais frequência do que pensava. Existem diferentes fatores que contribuem… desde a luta emocional, passando pela dependência financeira do parceiro até a solidão e dificuldades de adaptação à nova cultura.


Abaixo estão as principais preocupações antes de se mudar para o exterior e as principais razões para um retorno antecipado. Novamente, esse é um tópico altamente individual, mas definitivamente existem padrões que os consultores globais de RH devem levar em consideração. A prevenção pode acontecer com o pacote e uma melhor preparação para a expatriação, considerando não apenas o empregado e sim seu cônjuge.


As 3 principais preocupações antes de se mudar para o exterior:

Dependência financeira do parceiro – 38%

Barreira de língua – 37%

Alto custo de vida – 33%

Distância do país / família de origem – 31%

Não conseguir encontrar amigos – 30%


Principais Razões para o Retorno Antecipado:

Solidão – 11%

Dificuldades em adaptar-se à cultura local – 10%

Apoio insuficiente do empregador na vida profissional – 7%

Esforço no relacionamento – 5%

Outros – 51%


Estudos em andamento como o mencionado pela InterNations Business Solutions são muito importantes para esclarecer os pontos desafiadores da expatriação. Para nós, indivíduos, é sempre interessante ver como os fatores principais estão se desenvolvendo ao longo do tempo. Definitivamente, vejo a questão do desenvolvimento de carreira em ascensão e cada vez mais casais decidem contra a expatriação por medo de uma interrupção na carreira do parceiro. Por outro lado, as empresas podem resolver esses problemas de maneira muito melhor ouvindo os expatriados e suas experiências para oferecer melhorias. Não podemos esperar um resultado diferente quando não há mudança na abordagem. Por isso, sou grata por estudos como esses, que nos fornecem uma base para discutir e buscar novas perspectivas.


O que você acha dos resultados? Você já teve experiências semelhantes? Caso tenha interesse em ler o relatório na integra, clique aqui


Um abraço e ótima semana,



#brasileirospelomundo

#brasileirosnabelgica

#ticianatucci

#vidadeexpatriado

#reinvencaodecarreira

#carreirainternacional

#repensaracarreira

#coachingdecarreira

#coachingdecarreiraparaexpatriadas

2 visualizações

Ticiana Tucci - Desenvolvimento Humano - Human Development

ticiana.tucci@gmail.com

 

+32 477 52 72 46

 

 

 

© 2019 Todos os direitos reservados para Ticiana Tucci / All rights reserved for Ticiana Tucci

whatsapp_icone.png
  • Instagram
  • Facebook