Você está pronta para uma mudança internacional?

Durante as conversas entre eu e meu marido, ficávamos pensando se já estávamos prontos para uma mudança de vida de tamanha magnitude e alguns pontos sugiram. Penso que em uma mudança internacional a maior fonte de apoio está dentro da própria pessoa, através de seus recursos internos. Mudando para um ambiente totalmente diferente você será desafiado e “testado” em áreas que nunca foram tocadas anteriormente.


Viver em um novo país o tira de sua zona de conforto de sua própria cultura e requer que confie em si mesmo conforme enfrentar novas situações e não familiares. Embora nem sempre seja fácil, a experiência oferece uma valiosa oportunidade de crescimento pessoal.


Pesquisas realizadas na área de interculturalidade identificaram numerosas habilidades pessoais que ajudam às pessoas a terem sucesso quando enfrentam os desafios de uma vida de expatriação. Segundo o livro The Expert Expat de Melissa Brayer Hess e Patricia Linderman, são elas:

  • Habilidade para tolerar frustrações, ambiguidade e fracassos

  • Cabeça aberta e tolerâncias às diferenças

  • Flexibilidade e Adaptabilidade

  • Curiosidade e prazer frente à novas experiências

  • Boas habilidades em comunicação e observação

  • Ser centrado em si e autosuficiente

  • Senso de humor e habilidade para rir de seus próprios erros e desventuras

Naturalmente, os indivíduos seguem um continum em relação a todas essas qualidades. Ninguém é absolutamente flexível  ou absolutamente inflexível – todos nos encontramos em algum lugar entre os dois pontos. No entanto, aqueles mais próximos do lado “flexível” do espectro provavelmente terão mais facilidade para se adaptar às novas condições de vida, sociais e de trabalho.


Algumas dessas características podem estar intimamente relacionadas ao seu temperamento natural e às suas experiências passadas. No entanto, há evidências de que também são habilidades que podem ser desenvolvidas através de treinamento, esforço consciente e / ou novas experiências – a mentoria e coaching podem oferecer um apoio neste caso. Escreverei um pouco sobre cada característica e convido você a avaliar sua “prontidão” para uma mudança intercultural e pensar em formas como você pode aprimorar seus  “skills” em cada uma das áreas.


Habilidade para tolerar frustrações, ambiguidade e fracassos

Em uma cultura internacional você não vai conseguir tudo o que quiser e da forma que quiser. Gerenciar suas expectativas é muito importante. Além disso, sua visão pessoal de como as coisas deveriam ser ou como elas deveriam funcionar pode “bater de frente” com a realidade de sua nova vida. Você pode ficar com raiva dos outros e de si mesmo quando as coisas não funcionam como esperava. Em uma cultura estrangeira e mesmo em seu próprio país, você muitas vezes não tem controle sobre as circunstâncias do que pode acontecer. No entanto, você sempre tem a escolha de como reagir a eles. Há certas ocasiões em que sua reação natural é ficar frustrado ou irritado com os desafios em um ambiente estrangeiro. No entanto, você pode ser capaz de temperar esses sentimentos, educando-se para entender melhor as diferentes maneiras de fazer as coisas no seu país de acolhimento. Estudar a cultura, fazer treinamento intercultural ou conversar com outras pessoas (locais ou estrangeiras como você) que vivem naquela cultura há mais tempo, são passos proativos para ampliar sua perspectiva. Acima de tudo, tente desenvolver uma atitude mais relaxada, adotando uma visão mais ampla dos erros e das frustrações; elas não serão permanentes e podem até proporcionar a oportunidade de novos “insights” . Exemplo: Agendamento de consulta médica: embora muitas pessoas digam que Bruxelas é um local internacional, nem todas as pessoas falam inglês. Os idiomas locais são o francês, o flamengo e o alemão. Quando cheguei por aqui eu falava apenas o inglês e o espanhol e era um desafio enorme para conseguir agendar uma consulta médica. Muitas vezes era necessário deixar um recado na secretaria eletrônica pois muitos médicos aqui trabalham sozinhos, sem assistentes. Esta é uma outra questão que tive que me adaptar e entender: o médico aqui agenda a consulta, abre a porta do consultório enquanto atende (em alguns casos) e faz a cobrança da consulta (você paga diretamente à ele).


Cabeça aberta e tolerância às diferenças

Acho que uma das maiores vivências do diferente está na escola que seu filho frequenta. Pelo menos em minha experiência pude constatar. No caso, minhas crianças iniciaram a vida escolar por aqui em uma escola internacional o que permitiu o contato com crianças de até 43 nacionalidades diferentes. Isto inclui muitas coisas: raças, vestimenta, religião, comidas, temperos, músicas, rituais e feriados especiais de cada nacionalidade, visão de vida, contato com os pais, crianças que tem a mãe biológica mas convivem com as múltiplas esposas do pai…


Flexibilidade e Adaptabilidade

Quando estamos nos adaptando à um novo ambiente de trabalho, escolar, aspectos gerais de uma nova vida, estamos em constante mudança. Alguns de nós gostam de mudar, outros nem tanto e preferem a rotina. Se um novo contexto tende a ser um desafio para você, planeje-se! Faça uma viagem exploratória (se possível) e tenha uma ideia de como será o que está por vir. Se a viagem não for possível, compre guias sobre o local e livros, converse com pessoas que já moraram ou ainda vivem no local escolhido. No meu caso, meu marido foi 3 meses antes para trabalhar e eu e meus filhos fizemos uma viagem exploratória de 1 semana em Bruxelas para conhecer um pouco sobre a nova cidade. Visitamos possíveis escolas, bairros para morar, algumas casas e já foi possível viver um um pouquinho do novo ambiente, principalmente o clima que é muito diferente do Brasil. As casas também são diferentes e tem suas peculiaridades. Foi muito bom ter esta oportunidade e alinhar um pouco mais às expectativas a realidade que estava por vir.


Curiosidade e prazer frente à novas experiências

Estimo que a maioria das pessoas gosta de um balanço entre o novo e o familiar. Mas aqueles que tem um gosto especial por explorar, ter novas experiências e são desprendidos, possivelmente terão maior probabilidade de sucesso nesta oportunidade. Caso você seja mais voltado para o lado familiar e conhecido, pense no que você gosta de fazer e busque estas atividades em seu novo contexto. Por exemplo: eu adoro dançar, então logo que cheguei fui em busca de uma escola de dança próxima à minha casa. Além da atividade em si também era uma oportunidade de conhecer novas pessoas e praticar o novo idioma.


Boas habilidades em comunicação e observação

Para comunica-ser em um novo pais, você deve aprender o idioma local (caso seja diferente do seu). Aprender o idioma o ajudará a entender mais profundamente dos hábitos e costumes. Observe as pessoas à sua volta, como elas se vestem, como se cumprimentam, as gentilezas, as não gentilezas, as palavras de “ordem”, etc… me lembro que quando cheguei por aqui todas às pessoas diziam Bonjour até o final do dia (mesmo quando é inverno e às 5 horas da tarde já está escuro) e os homens se cumprimentam com beijos, por exemplo.


Ser centrado em si e autosuficiente

Se você optar por realizar uma mudança destas sozinho, vale a pena trazer em sua bagagem bons livros, musicas, uma rotina de exercícios que podem ser seus companheiros em noites solitárias. Conhecer-se e ser centrado em si é muito importante e necessário em momentos onde sua identidade pode mudar. Caso você realize esta mudança em família e sua esposa ou marido não sejam aptos à trabalhar por conta de visto/permissão de trabalho, é muito importante que eles tenham um plano durante a estada nesta nova vida, pelo menos no início até se adaptarem. Isto ajuda a continuarem centrados e aproveitando as oportunidades que também lhe são oferecidas.


Senso de humor e habilidade para rir de seus próprios erros e desventuras

Ter senso de humor não significa que você não leva a sério sua vida e trabalho. Na realidade significa que você consegue dar um passo atrás e ver as situações com leveza e perspectiva. Rir não somente faz bem, como ajuda a ter uma saúde melhor, diminuindo os níveis de stress. Ser um expatriado pode causar bastante estresse. Cabe à você fazer a opção de como quer levar a vida que você mesmo escolheu! Ter senso de humor e rir de seus próprios erros lhe dará oportunidade de colecionar boas histórias para contar e aprender consigo mesmo, não é?


Como anda sua prontidão para realizar uma mudança de pais?

Conhecer-se é o primeiro passo para saber se você tem aderência a este tipo de experiência e, em caso afirmativo, juntas podemos trilhar os caminhos que podem leva-la a atingir este sonho!


Tem interesse pelo tema?

Que tal agendarmos uma conversa e verificar se posso te ajudar?


Um forte abraço,


#prontidaoparaamudanca

#aprendizadonoexterior

#brasileirospelomundo

#brasileirosnabelgica

#ticianatucci

#vidadeexpatriado

#reinvencaodecarreira

#carreirainternacional

#repensaracarreira

#coachingdecarreira

#coachingdecarreiraparaexpatriadas

#networkingpelomundo

#identidadeprofissional


0 visualização

Ticiana Tucci - Desenvolvimento Humano - Human Development

ticiana.tucci@gmail.com

 

+32 477 52 72 46

 

 

 

© 2019 Todos os direitos reservados para Ticiana Tucci / All rights reserved for Ticiana Tucci

whatsapp_icone.png
  • Instagram
  • Facebook